Buscar

A imagem dá o tom da matéria

Atualizado: 1 de Jun de 2019


”A cena assustava motoristas: policiais abaixados atrás da mureta que divide as pistas da Linha Amarela. O palco da guerra foi ontem em uma das principais vias expressas do Rio, que liga a Barra à Ilha do Fundão. De um, lado PMs acuados. Do outro, moradores da Cidade de Deus atirando pedras e levando caçambas de lixo para bloquear o trânsito”.  (O Globo 08/04)


Lendo a reportagem - Tensão na volta para a casa - lembrei de algo que gostaria de partilhar aqui. Para começar a nossa conversa, uma pergunta bem simples: Você saberia como iniciar esta matéria? Saberia o que colocar na passagem e como fecharia a reportagem? Antes de mais nada vamos analisar uma coisa. No impresso, o repórter começa pelo início da história, mas no audiovisual, não é bem assim. Na reportagem de O Globo, o repórter abre a matéria narrando o momento tenso na Linha Amarela. Geralmente não temos esta imagem inicial e sendo assim não podemos abrir a reportagem com algo que não temos como mostrar. A imagem dá o tom da matéria. O que quero dizer com isso?


Se não temos a imagem do fato inicial, podemos procurar algo mais atual para nossa matéria, como por exemplo o policiamento reforçado no local onde ocorreu o fato. A partir daí, podemos entrar na história inicial em uma passagem. Deu para entender?


E este é o ponto crucial deste comentário. A imagem é fundamental, se trabalhamos com áudio e vídeo, nosso texto deve fazer parte disso tudo e não ser o único elemento. Por isso, na hora de escrever para o audiovisual, deve-se considerar sempre o material colhido na reportagem. A partir daí o profissional pode entregar um conteúdo mais rico e interessante!!


32 visualizações

Assine nossa newsletter

Este site foi orgulhosamente criado por Pereggrin Comunicação no ano de 2018 - Direitos Reservados
Rio de Janeiro - São Paulo - Goiânia - Brasília - Belém
SSL HTTPS.png